Orit Halpern: “Por que tudo tem que ser ‘inteligente’ agora?” Por que queremos isso?

By | 30/12/2023

A pesquisadora **Orit Halpern**, 51 anos e natural da Filadélfia, Estados Unidos, estuda a cultura digital e as mudanças sociais que ela causa há quase 15 anos. Seu último livro, The Smartness Mandate, explora as razões e consequências por trás da tendência de tudo em nossas vidas se tornar “inteligente”.

Causas do mandato dos inteligentes

De acordo com Halpern, existem três causas principais por trás da proliferação de dispositivos e sistemas inteligentes:

1. Mudanças na economia, com a transição da produção industrial para economias da informação.
2. Mudanças na geopolítica, como a descolonização e o planeamento urbano.
3. Avanços tecnológicos na computação e surgimento de novos modelos de aprendizado de máquina e big data.

Orit Halpern

Os desafios de um mundo dependente da inteligência artificial

A dependência da inteligência artificial e dos grandes volumes de dados pode levar a problemas, como a concentração de dados e a falta de transparência em termos de infraestruturas. Também pode levar a sistemas que perpetuam desigualdades e limitam o acesso a oportunidades.

Halpern argumenta que precisamos de fazer perguntas mais profundas sobre que tipo de inteligência queremos e como queremos que a tecnologia digital se desenvolva. Precisamos considerar quem será o proprietário, para quem esses sistemas serão construídos e quem se beneficiará.

Otimismo Computacional Pessimista

Orit Halpern cunhou o termo “otimismo computacional pessimista” para descrever a relação contraditória que a sociedade tem com a inteligência artificial. Mostra como temos sentimentos contraditórios sobre a adopção de tecnologias avançadas, pois por um lado tememos os seus possíveis impactos negativos nas nossas vidas e as possíveis ameaças que podem representar, mas por outro lado, também esperamos que estas tecnologias ajudem prosperarmos num mundo cada vez mais incerto.

(Notciciasdeia)